Plenitude (Crônicas da vida)

Poderia começar esse texto de uma forma como se fosse contar aquelas histórias de amor com aqueles finais mágicos e felizes. A verdade é que realmente foi mágico, mas finais, apesar de não serem sinônimos de fracasso, quase nunca são felizes.
Então, a partir de agora, tirem as conclusões que quiserem, foi o meu conto de fadas de cinco anos, mas como todo conto de fadas, teve um fim.

Tudo começou em uma tarde ensolarada de novembro, dizem que quando estamos imensamente felizes não conseguimos lembrar de horários e datas, então só lembro que foi em novembro. Apesar de termos passado metade de nossas vidas “juntos”, nunca tinha o conhecido, então naquela quadra da universidade “a quadra De L’amour” começamos a conversar e tudo fazia sentido, tudo parecia tão certo, naqueles minutos só existiam nós dois. Naquela altura, sem ter namorado algum de verdade, já tinha tido a minha cota de desilusões amorosas e ele também. Não imaginávamos que um dia tudo teria um fim, pois, ao longo dos nossos cinco anos juntos fomos felizes, fomos plenos, mas talvez, em alguma hora nos perdemos. Parecíamos ter sido feitos um para o outro, éramos grandes amigos, daqueles que contavam tudo um para o outro, daqueles que viviam rindo de piadas internas, que compartilhavam as coisas mais sem graça como se fossem extremamente engraçadas, daqueles que riam ou apenas ficavam juntos… Apenas juntos. E assim fomos por cinco anos.

Lembro quando eu pedi ele em namoro e ele não me respondeu. Foi o pior momento da minha vida, mas tive que lidar com isso por algumas horas até ele me responder. Você deve está se perguntando como foi esperar… rsrs Foi difícil, mas eu esperei. Eu estava perdidamente apaixonada, e para a minha sorte, ele tamb[em.

Ah meu querido, lembro de cada aventura, de cada vez que fingia adormecer (as vezes adormecia de verdade) em seu ombro, porque ali era tão confortável e seguro. Lembro de todas as noites que você foi me deixar em casa, de todos os natais e ano novo que nunca passamos juntos, mas que  em nossa distância compartilhávamos momentos e sentimento pelo telefone. No fundo, eu tinha a esperança de que ele ia aparecer onde eu estava e daríamos aquele beijo clichê de filme. Como eu disse, era meu conto de fadas particular, quem não sonha com um?! E quer saber? Eu realmente acreditava que ele era o meu príncipe.

Lembro de cada dia que tivemos, de cada briga, de cada reconciliação, das horas intermináveis ao telefone, das conversas sem sentido, de todas as playlists que você fez pra mim, de todos os filmes que assistimos juntos, ou os que me indicou. Ainda hoje, de todas as músicas que eu ouço, 50% foi você quem me mostrou. Falando em música, lembro que “Janta” pode até ser a música do Marcelo  e da Mallu, mas com toda certeza também é a nossa, e toda vez que tenho saudade daqueles dias juntos, eu ainda escuto ela.

Lembro de todas as promessas de amor que fizemos e das que não fizemos, mas que mesmo assim você cumpriu. Lembro de tudo porque o meu quarto é cheio de lembranças suas em todos os cantos que eu olho, e as lembranças são boas, então continuarão aqui, me lembrando de uma época boa, me lembrando de você.

Sabem aqueles namoros que não tem muitas fotos e que não estão sempre juntos?! Esse era nosso tipo, mas do nosso jeito era o melhor namoro do mundo. E se você não estava a todo momento ao meu lado antes, parece que ainda agora está presente.

Você sempre me deu tanto amor, que quando acabou eu tive um esclarecimento, és o meu padrão, não vou aceitar menos amor do que um dia me deu e sinceramente espero que você também não aceite.

Quero finalizar falando que acabou não por não ter dado certo, mas por ter sido a pessoa certa na hora errada, ironia não?! A você quero dizer que lembro das promessas que fiz, inclusive da que nunca iria te esquecer, que sempre iria gostar de você, pode ter certeza, não tem como esquecer, sempre terás um pedaço do meu coração. Não importa o tempo que passe, nunca vou quebrar essas promessas. E a você espero que esteja feliz de uma forma inigualável, da forma que você sempre sonhou, eu realmente espero que você consiga realizar todos os sonhos que um dia j[a compartilhou comigo. Se náo realizar ao meu lado, que realizes ao lado de alguém que torça, vibre e te incentive, de alguém que te ame tanto e que você ame tanto, que mereça estar ao seu lado.

Talvez esteja faltando um pouquinho de coerência nesta história, mas desde quando o sentimento tem coerência?! Tudo isso foi para dizer que não importa o que aconteça, tive cinco anos repletos de felicidade que infelizmente tinham um prazo de validade, mas que foram tão maravilhosos como eu jamais sonhei, e ainda que eu usasse as palavras de todos os poetas e músicos do mundo, eu jamais conseguiria explicar a gratidão que eu tenho por este tempo. As vezes as pessoas se amam, mas não nasceram para viver juntas, e não existe maior prova de amor do que decidir se sentir incompleto, para proporcionar a plenitude de alguém.

Com muito carinho, para um leitor especial do blog. Espero que esteja lendo esse post agora. Te desejo reciprocidade, plenitude e amor, e se um dia lembrares de mim, que seja sorrindo, pois, é assim que me lembrarei de você, para sempre.

C.D.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s