Invisível (David Levithan e Andrea Cremer)

A historia tem romance, suspense, magia e amizade, mostra até que ponto vamos para proteger e ajudar aqueles que amamos seja pela(o) irmã(o), pelo(a) namorado(a) ou por pessoas que não conhecemos. Quer saber mais? Vem ler a resenha.

Título: Invisível
Título original:
Invisibility
Ano: 2014
Autor: David Levithan e Andrea Cremer (Co-escritores)
Gênero: Ficção estrangeira
Editora: Galera Record
Livro único (mas eu queria muito uma continuação!)
Páginas: 322
Minha nota: 5 
Nota no Skoob: 4

Nota da resenhista: Geeente, eu li e fiz essa resenha em janeiro de 2015, mas percebi que ela não estava aqui, estava apenas no nosso blog antigo (com.br) então resolvi colocar aqui para vocês. Espero que gostem! Haaaa… e não se asustem com as fotos, faz mais ou menos um ano e meio e meu cabelo estava com a cor natural, além de que… Eu li esse livro durante uma viagem de barco, e sim, sou daquele tipo de pessoa que tira foto com livros, como se fossem pessoas! hahah. Bjs Lai 

Sinopse

Stephen passou a vida do lado de fora, olhando para dentro. Amaldiçoado desde o nascimento, ele é invisível. Não apenas para si mesmo, mas para todos. Não sabe como é seu próprio rosto. Ele vaga por Nova York, em um esforço contínuo para não desaparecer completamente. Mas um milagre acontece, e ele se chama Elizabeth.

Recém-chegada à cidade, a garota procura exatamente o que Stephen mais odeia. A possibilidade de passar despercebida, depois de sofrer com a rejeição dos amigos à orientação sexual do irmão. Perdida em pensamentos, Elizabeth não entende por que seu vizinho de apartamento não mexe um dedo quando ela derruba uma sacola de compras no chão. E Stephen não acredita no que está acontecendo… Ela o vê!

DSC01538.JPG

Resenha

Stephen é um garoto invisível – COMO ASSIM INVISÍVEL?? É ISSO MESMO, ELE REALMENTE É INVISÍVEL!! – Seus pais se separaram quando ele ainda bem pequeno e sua mãe faleceu quando ele tinha 15 anos, deixando-o sozinho em um mundo onde ele não podia ser notado, por isso ele pede comida pela internet, nunca frequentou a escola, tem que esperar alguém sair do prédio onde mora para aproveitar a porta aberta (para ninguém achar que o prédio esta amaldiçoado rs) enfim… Ele vive uma vida totalmente invisível, e, por mais que isso o incomode, seus pais sempre se negaram a falar sobre o assunto e ele acabou por aceitar que sempre será invisível e que a única pessoa que lhe amou e que ele amou também não existe mais.

O livro mostra a vida de Stephen, que é um menino super normal, tirando o fato de ser invisível. A grande mudança acontece quando a nova moradora do prédio fala com ele, denunciando assim que consegue enxerga-lo. O mais engraçado de tudo é como explicar para Elizabeth que ela não é louca, pois como pode apenas ela enxergar uma pessoa? Será fruto da sua imaginação? Mas seu irmão Laurie que é super alto-astral e perspicaz escuta a voz de Stephen e percebe que ela não esta louca e que seu “namorado imaginário” existe mesmo!

Juntos Stephen, Elizabeth e Laurien descobrem uma mulher que “pode ser que ajude” Stephen. Millie explica aos três sobre conjuradores e suas maldiçoes, Encatadores e sua dádivas e Rastreadores. Neste momento as dúvidas de todos começam a ser esclarecidas… Como pode Stephen ter nascido invisível? Por que ninguém pode vê-lo? E se ninguém consegue vê-lo, por que Elizabeth consegue? Então Stephen e Elizabeth acabam descobrindo muito sobre si e praticamente nada sobre como ajudar Stephen. Mas começam a entender de onde vem “essa coisa toda de ser invisível” e quem fez isso a ele. Então, obstinados, vão a procura de meios para entender completamente o que está acontecendo e como acabar com o mal que aflige Stephen.

O que será do namoro dos dois? Será que Stephen será para sempre invisível?

Minha opinião sobre o livro

Quando comprei o livro foi porquê li Will & Will que o David Levithan co-escreveu com o Green e gostei muito, por isso desejei ler mais títulos do autor, mas eu imaginava que o menino se sentia invisível e não que ele era INVISÍVEL!

Cada capitulo do livro é narrado por Stephen ou por Elizabeth, você consegue enxergar por ângulos diferentes a mesma situação. Você pode estar achando… Há vou ler duas vezes a mesma coisa? É ai que você se engana e a maneira leve e descontraída que o David e a Andrea escrevem é tão natural que se torna muito prazerosa a leitura, e não, não é repetitiva e nem cansativa, realmente são apenas perspectivas diferentes, como cada uma reage aos acontecimentos e ao que vem depois. Com a narração dos dois principais personagem o sentimento que fica é que a história está sendo muito bem contada e que esta completa.

O livro me surpreendeu e sinceramente eu espero que um dia seja escrito uma continuação, pois ainda tem muita historia para ser contada, mas gostei de onde ela terminou e como terminou. A historia tem romance, suspense, magia e amizade, mostra até que ponto vamos para proteger e ajudar aqueles que amamos seja pela(o) irmã(o), pelo(a) namorado(a) ou por pessoas que não conhecemos. A leitura é leve e interessante, eu fiquei extremamente presa ao livro e indico a leitura, os autores e a história são ótimos. Quero ler mais livros do David Levithan, ele tem se mostrado um excelente escritor ao meu ver.

DSC01566.JPGEstou rindo muito dessas fotos. kkkk

Frases que sublinhei no livro

“Somos o tempo, somos a respiração, somos o ar” Stephen – pag 68

“Na maior parte do tempo feliz não é a palavra para descrever como me sinto. Eu me perco em Stephen sem estar perdida. Eu me encontro em Stephen quando nem sabia que esperava ser encontrada” – Elizabeth – pag 79

“Ele não é invisível para mim. Apenas para mim. Isso deve significar alguma coisa” – Elizabeth – pag 103

“Queria que houvesse um indicador pessoal de tempo, para que não tivéssemos que nos basear em dias, semanas, meses, anos. Porque cada um de nós tem a própria unidade de medida, a própria relatividade. Distância entre amores, distância entre mortes. Ou apenas uma morte. A rapidez do tempo antes. A eternidade do tempo depois.” Stephen – pag 175
“Nunca aceitei a ideia de destino ou sorte. O mundo sempre parecia volúvel e injusto demais para tais conceitos altivos. Mais se o destino era real, me levou a me apaixonar por um garoto invisível. E eu faria qualquer coisa para salva-lo” Elizabeth – pag 194
“Nossas vidas são deferentes. Inexplicavelmente, intrinsecamente ligadas, porem diferente.” Stephen – pag 202 

DSC01574.JPG

Gostaram do meu book literário? kkkk Alguém aqui já leu Invisível? Gostou? Ficou com vontade de ler? Me contem nos comentários.

Mil beijos
FullSizeRender (26)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s