O Visconde que me amava; Os Bridgertons (Julia Quinn)

Romances de época são maravilhosos, e esse sem dúvidas não ficou para trás. Esse libertino cheio de medos que se une a essa mulher que não aceita fraquezas vão te conquistar com a amizade e o amor que vai nascendo entre eles, e fazer o coração bater mais forte com essa paixão cheia de fagulhas.

Livro: O Visconde que me amava
Autor: Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 288
Ano: 2013
Nota do Skoob: 4,5
Minha nota: 5

Obs.: Contém conteúdo adulto.

FullSizeRender (19)

Sinopse

A temporada de bailes e festas de 1814 acaba de começar em Londres. Como de costume, as mães ambiciosas já estão ávidas por encontrar um marido adequado para suas filhas. Ao que tudo indica, o solteiro mais cobiçado do ano será
Anthony Bridgerton, um visconde charmoso, elegante e muito rico que, contrariando as probabilidades, resolve dar um basta na rotina de libertino e arranjar uma noiva.

Logo ele decide que Edwina Sheffield, a debutante mais linda da estação, é a candidata ideal. Mas, para levá-la ao altar, primeiro terá que convencer Kate, a irmã mais velha da jovem, de que merece se casar com ela.

Não será uma tarefa fácil, porque Kate não acredita que ex-libertinos possam se transformar em bons maridos e não deixará Edwina cair nas garras dele.

Enquanto faz de tudo para afastá-lo da irmã, Kate descobre que o visconde devasso é também um homem honesto e gentil. Ao mesmo tempo, Anthony começa a sonhar com ela, apesar de achá-la a criatura mais intrometida e irritante que já pisou nos salões de Londres. Aos poucos, os dois percebem que essa centelha de desejo pode ser mais do que uma simples atração.

Considerada a Jane Austen contemporânea, Julia Quinn mantém, neste segundo livro da série Os Bridgertons, o senso de humor e a capacidade de despertar emoções que lhe permitem construir personagens carismáticos e histórias inesquecíveis. Resenha Mundo Sublinhado

FullSizeRender (24)

Resenha Mundo Sublinhdo

O segundo livro da série dos Bridgertons conta a história do primogênito, Anthony. Tendo sofrido muito com a morte de seu pai, carregava consigo o fardo de que nem de longe superaria seu pai em nada, muito menos em idade.

Vivera a vida como um impetuoso libertino, e por isso era um perigo para as inocentes moças de família, principalmente agora que tomara a decisão de que iria se casar. Mas essa noiva precisava ser — pelo menos um pouco — intelectual, atraente e ele nunca poderia se apaixonar por ela, porque apaixonar-se tornaria sua morte — que provavelmente se daria antes dos 38 anos, que foi a idade em que seu pai faleceu — ainda mais dolorosa.

Edwina Sheffield seria então a esposa perfeita: era a mais atraente da temporada, adorava ler e, apesar de ela ser adorável, ele nunca se apaixonaria por ela. Sabia que sendo um cavalheiro logo conquistaria esse coração, mas para conseguir casar-se com ela, teria que passar pelo julgamento de sua irmã, Kate Sheffield, que o odiava e nunca deixaria sua pequena casar-se com um libertino dos piores.

O que Anthony e Kate nunca esperavam era que entre eles as fagulhas da paixão fossem aparecer e, principalmente, que não conseguiriam controlá-las.

FullSizeRender (25)

Minhas considerações

Que livro lindo e engraçado! Anthony e Kate se atacam com sarcasmos e ironias, mas se enrubescem com os elogios que sua sinceridade os obriga admitir.

A escrita de Julia Quinn é maravilhosa, tornando a leitura agradável, divertida e única! Romances de época são maravilhosos, e esse sem dúvidas não ficou para trás. Esse libertino cheio de medos que se une a essa mulher que não aceita fraquezas vão te conquistar com a amizade e o amor que vai nascendo entre eles, e fazer o coração bater mais forte com essa paixão cheia de fagulhas.

Indico com muito amor esse romance de época maravilhoso!

IMG_9895

Minhas frases sublinhadas

“[…] de repente não teve mais tanta certeza de que ele era o libertino censurável e desalmado que ela gostava de acreditar que fosse.” Pag – 151

“Se você apenas olhar para mim, saberá que está segura.” Pag – 157

“E era impressionante como ele queria ser a pessoa a fazê-la sentir-se melhor.” – Pag. 159

“[…] muitas vezes, é difícil compartilhar nossos temores com aqueles que mais amamos.” – Pag 169

“ – Eu lhe darei qualquer coisa que esteja a meu alcance – Antony
– Apenas me ame. Apenas me ame. – Kate” – Pag 215

“Naquele instante, soube que o amava. Com cada pensamento, cada emoção, cada pedacinho de seu ser, ela o amava.” Pag – 253

“O amor não tem nada a ver com o medo de que tudo acabe, mas com  encontrar alguém que o complete, que faça de você um ser humano melhor do que jamais sonhou ser. É olhar nos olhos de sua esposa e ter a certeza de que ela é a melhor pessoa que você já conheceu.” – Pag 284.

Essa é a segunda resenha da série Os Bridgertons. Espero que gostem.
Resenha 1º livro O Duque e eu

beiJU
FullSizeRender (20)

 

 

Um comentário sobre “O Visconde que me amava; Os Bridgertons (Julia Quinn)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s