Como eu era antes de você (Jojo Moyes)

 

“Do início ao fim temos um livro encantador, soltamos vários suspiros, boas risadas são arrancadas e um final regado de lágrimas. Eu indico esse livro para qualquer um, acho que todo mundo deveria ler, vale cada centavo pago, cada página virada. É a segunda vez que o leio e mais uma vez tenho as mesmas sensações, só que de uma forma nova.”

como eu era antes de vocÊ capa livroLivro: Como eu era antes de você
Autora: JoJo Moyes
Editora: Intrínseca
Número de páginas: 320
Ano: 2013
Nota do Skoob: 4,5
Minha nota: 5 (miiiiiilll!) – Preferido (dos preferidos)

Sinopse

Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Trabalha como garçonete num café, um emprego que não paga muito, mas ajuda nas despesas, e namora Patrick, um triatleta que não parece interessado nela. Não que ela se importe. Quando o café fecha as portas, Lou é obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor, de 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de um acidente de moto, o antes ativo e esportivo Will desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto. Tudo parece pequeno e sem graça para ele, que sabe exatamente como dar um fim a esse sentimento. O que Will não sabe é que Lou está prestes a trazer cor a sua vida. E nenhum dos dois desconfia de que irá mudar para sempre a história um do outro.

IMG_20160229_114031_0.jpg

Resenha Mundo Sublinhado

Will Traynor, filho de Camilla e Steven Traynor, era jovem, cheio de vigor, trabalhador, mas sem deixar de viver as aventuras e lazeres da vida. Até o dia em que sofre um acidente no trânsito e perde os movimentos das pernas e braços, dependendo de uma cadeira de rodas motorizada para se movimentar, e de Nathan, seu cuidador, para fazer coisas básicas do dia a dia, como tomar banho, trocar-se, comer.

Louisa Clark — filha de Josephine e Bernard Clark, irmã de Katrina e tia de Thomas — era uma jovem divertida e falante. Namorava há 7 anos Patrick — viciado em corrida e dietas — vivendo um relacionamento acomodado.

Ela trabalhou anos em um Café próximo ao Castelo da cidade, ouvindo histórias de diferentes pessoas. Devido a alguns impedimentos, o café teve que fechar e Lou começou a procura por um novo emprego, visto que sua família dependia de seu salário, ainda mais com a instabilidade do trabalho de seu pai.

Depois de algumas tentativas de emprego fracassada, eis que surge uma vaga como cuidadora assistente de um tetraplégico, com um salário acima do piso. Lou decide tentar ao menos a entrevista, e surpreendentemente é contratada. No entanto, seu “patrão”, Will, é arrogante, irônico e eles não se dão nada bem.

Com o tempo começam a achar seu próprio jeito de se relacionar, tornando-se bons amigos.
Até que Lou descobre que Will pensa em desistir da vida, então ela passa a tentar de todas as formas mudar essa mentalidade. Eles vivem momentos maravilhosos e inesquecíveis, mas será que será o suficiente?

IMG_20160229_114030_991.jpg

Minhas considerações

QUE LIVRO!!!

Que livro lindo, maravilhoso, emocionante, apaixonante e tudo de bom.

A escrita e o modo como JoJo contou essa belíssima história foi impecável. Consegui perfeitamente criar as cenas, as expressões, desenhar os personagens (ficou ainda mais fácil depois que assisti o trailer também).

Os personagens são muito bem construídos, com personalidades bem definidas, mas sempre nos surpreendem com atitudes inesperadas.

Do início ao fim temos um livro encantador, soltamos vários suspiros, boas risadas são arrancadas e um final regado de lágrimas (só não vou dizer se são de tristeza ou de alegria – sem spoiler – rs).

Eu indico esse livro para qualquer um, acho que todo mundo deveria ler, vale cada centavo pago, cada página virada. É a segunda vez que o leio e mais uma vez tenho as mesmas sensações, só que de uma forma nova.

Leiam, por favor, e aguardem ansiosamente o filme junto comigo.

IMG_20160229_114030_966

Minhas frases sublinhadas

“A cadeira voltou-se em minha direção, triturando de leve os vidros no chão. Seus olhos encontravam os meus. Eles estavam infinitamente cansados. E me desafiavam a oferecer compaixão.” (pág. 51)

“— Ele estava rindo de mim — expliquei.
Will tinha achado muito engraçado que eu não soubesse o que era pesto. Eu disse que o jantar seria ‘macarrão com molho verde’.
— Ah, ela não se importa com isso. É que há muito tempo ele não ri de alguma coisa.” (pág. 62)

“Deitei-me na cama e pensei em Will. Pensei em sua raiva e em sua tristeza. Pensei no que a mãe dele tinha dito: que eu era uma das únicas pessoas que conseguiu alcançá-lo. Pensei nele se esforçando para não rir com a Canção Molahonkey numa noite em que a neve caía dourada do outro lado da janela. Pensei na pele cálida e nas mãos e nos cabelos macios de alguém vivo, de alguém bem mais inteligente e engraçado do que eu jamais poderia ser e que, apesar disso, não via nada melhor no futuro do que se matar. E enfim, com a cabeça pressionada contra o travesseiro, chorei porque minha vida de repente pareceu mais difícil de entender e muito mais complicada do que jamais havia imaginado, e desejei poder voltar até os dias em que minha maior preocupação era se Frank e eu tínhamos encomendado bolinhos Chelsea suficientes.” (pág. 113)

“Eu tinha de preencher os pequenos retângulos brancos do calendário com um monte de coisas que pudessem causar felicidade, alegria, satisfação ou prazer.” (pág. 124)

“Eu dispunha de cento e dezessete dias para convencer Will Traynor de que ele tinha motivos para viver.” (pág. 125)

“— Eu vou se você for comigo.
— Por que não vai sozinha?
— De jeito nenhum.
Continuamos ali, enquanto ele pensava no caso.
— Meu Deus, você é um saco.
— Você diz isso o tempo todo.” (pág. 144)

“Nathan foi arrumar a bolsa de Will. Estava pensando em fazer um comentário sobre como Will era controlador, quando virei-me e vi que ele continuava me olhando.
— Você está ótima, Clark. De verdade — disse ele, baixinho.” (pág. 147)

“— Muito bem — falei, soltando meu cinto de segurança. — Melhor entrarmos. A rotina da noite nos aguarda.
— Espere um instante, Clark.
Virei-me. O rosto de Will estava no escuro, não conseguia vê-lo direito.
— Espere um instante. Só um minuto.
— Está se sentindo bem? — Olhei para a cadeira dele, com medo de estar esmagado ou preso em alguma parte, ou de eu ter feito alguma coisa errada.
— Estou ótimo. É que…
Podia ver o colarinho claro da camisa em contraste com o terno escuro.
— Não quero entrar agora. Quero ficar sentado aqui e pensar que… — Engoliu em seco.
Mesmo no escuro, pareceu fazer esforço.
— Quero… ser apenas um homem que foi a um concerto com uma garota de vestido vermelho. Só por mais alguns minutos.
Larguei a maçaneta da porta.
— Claro.
Fechei os olhos, apoiei a cabeça no encosto da cadeira e ficamos ali mais um pouco, duas pessoas perdidas nas lembranças sonoras, meio ocultas à sombra de um castelo numa colina iluminada pela lua.” (pág. 150)

“— Você só vive uma vez. É sua obrigação aproveitar a vida da melhor forma possível.” (pág. 173)

“— Estou avisando que existe um mundo inteiro lá fora. Mas eu gostaria muito que, antes de conhecer esse mundo, você fizesse umas batatas para mim. — Ele me lançou um sorriso e não pude evitar retribuir.” (pág. 182)

“— Você, Clark — ele olhou para as mãos —, é a única pessoa com quem eu sinto que posso falar desde que eu acabei nesta porcaria.” (pág. 222)

“— Às vezes, Clark, você é a única coisa que me dá vontade de levantar da cama.” (pág. 238)

“Parte de mim esperava que Will ouvisse a minha voz. Parte de mim esperava que ele abrisse os olhos por cima daquela máscara transparente de plástico e dissesse:
— Clark. Sente-se, pelo amor de Deus. Você está bagunçando o quarto.
Mas ele continuou deitado imóvel lá.” (pág. 263)

“Quem você acha que me sugeriu fazer uma faculdade? Quem você acha que me incentivou a fazer alguma coisa da vida, a viajar, a ter ambições? Quem mudou minha maneira de pensar sobre todos os assuntos? Até sobre mim mesma? Foi Will. Fiz mais coisas e vivi mais nos últimos seis meses do que nos últimos vinte e sete anos da minha vida.” (pág. 307)

“Olhei pela janela para o céu azul-claro da Suíça e contei a história de duas pessoas. Duas pessoas que não deviam se encontrar e que não gostaram muito um do outro quando se conheceram, mas que descobriram que eram as duas únicas pessoas no mundo que podiam se entender. Contei as aventuras que tiveram, os lugares onde foram e as coisas vistas que nunca esperaram ver. Conjurei para ele céus cheios de raios, mares iridescentes e noites repletas de risos e piadas bobas. Desenhei para ele um mundo, distante de uma área industrial suíça, um mundo onde ele ainda era, de algum modo, a pessoa que queria ser. Mostrei o mundo que ele tinha criado para mim, cheio de encantos e que ele não podia imaginar, e que só por isso eu estaria para sempre em dívida com ele. Enquanto eu falava, sabia que aquelas poderiam ser as palavras mais importantes que diria e que precisavam ser as palavras certas, que não eram propaganda, uma tentativa de mudar o que ele pensava, mas que respeitavam a decisão dele.
Contei algo bom.” (pág. 314)

“Estou lhe dando isso porque poucas coisas ainda me fazem feliz, e você é uma delas.” (pág. 319)

“É isso. Você está marcada no meu coração, Clark. Desde o dia em que chegou, com suas roupas ridículas, suas piadas ruins e sua total incapacidade de disfarçar o que sente. Você mudou a minha vida muito mais do que esse dinheiro vai mudar a sua.” (pág. 320)

CARTAZ COMO EU ERA ANTES DE VOCê.jpg

Sobre o filme

No dia 3 de Junho de 2016 chegará aos telões a adaptação do livro “Como eu era antes de você”, e no Brasil chegará no dia 16 do mesmo mês.

O filme está sendo produzido por Michael H. Weber e Scott Neustadter, de A culpa é das estrelas e (500) dias com ela. O roteiro foi feito pela autora, JoJo Moyes.
Teremos interpretando os personagens principais Sam Claflin (Finnick Odair, de Jogos Vorazes) como Will Traynor, e Emilia Clarke (Daenerys Targaryen, de Game of Thrones) como Louisa Clark.

Elenco:
Louisa Clark – Emilia Clarke
Will Traynor – Sam Claflin
Nathan – Stephen Peacocke
Katrina Clark – Jenna Coleman
Camilla Traynor – Janet McTeer
Steven Traynor – Charles Dance
Bernard Clark – Brendan Coyle
Patrick – Matthew Lewis
Alicia – Vanessa Kirby
Rupert – Ben Lloyd-Hughes

O trailer foi divulgado no dia 3 de Fevereiro e fizemos um post aqui no blog comentando um pouco dele -> Post sobre filme Como eu era antes de você.

A continuação do livro Como eu era antes de você -> Depois de você

Sinopse
IMG_20160225_221121_944.jpg
Em Depois de você, Lou ainda não superou a perda de Will. Morando em um flat em Londres, ela trabalha como garçonete em um pub no aeroporto. Certo dia, após beber muito, Lou cai do terraço. O terrível acidente a obriga voltar para a casa de sua família, mas também a permite conhecer Sam Fielding, um paramédico cujo trabalho é lidar com a vida e a morte, a única pessoa que parece capaz de compreendê-la.
Ao se recuperar, Lou sabe que precisa dar uma guinada na própria história e acaba entrando para um grupo de terapia de luto. Os membros compartilham sabedoria, risadas, frustrações e biscoitos horrorosos, além de a incentivarem a investir em Sam. Tudo parece começar a se encaixar, quando alguém do passado de Will surge e atrapalha os planos de Lou, levando-a a um futuro totalmente diferente.

BeiJU
FullSizeRender (20)

4 comentários sobre “Como eu era antes de você (Jojo Moyes)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s