O príncipe dos canalhas (Loretta Chase)

Essa história é uma releitura do clássico ‘A bela e a fera’. Ri muito das brigas da Jess e do Dain, eles são personagens incríveis, engraçados, espirituosos e tem gênios que não combinam, o que deu a trama um ar totalmente inesperado. É um romance de época fascinante!

Livro: O príncipe dos canalhas
Autora: Loretta Chase
Editora: Arqueiro
Nº de páginas: 288
Nota Skoob: 4.4
Minha nota: 4

Obs.: Contém linguagem obscena e conteúdo erótico.

Sinopse

Sebastian Ballister é o grande e perigoso marquês de Dain, conhecido como lorde Belzebu: um homem com quem nenhuma dama respeitável deseja qualquer tipo de compromisso. Rejeitado pelo pai e humilhado pelos colegas de escola, ele nunca fez sucesso com as mulheres. E, a bem da verdade, está determinado a continuar desfrutando de sua vida depravada e pecadora, livre dos olhares traiçoeiros da conservadora sociedade parisiense. Até que um dia ele conhece Jessica Trent…

Acostumado à repulsa das pessoas, Dain fica confuso ao deparar com aquela mulher tão independente e segura de si. Recém-chegada a Paris, sua única intenção é resgatar o irmão Bertie da má influência do arrogante lorde Belzebu.

Liberal para sua época, Jessica não se deixa abater por escândalos e pelos tabus impostos pela sociedade – muito menos pela ameaça do diabo em pessoa. O que nenhum dos dois poderia imaginar é que esse encontro seria capaz de despertar em Dain sentimentos há muito esquecidos. Tampouco que a inteligência e a virilidade dele pudessem desviar Jessica de seu caminho.

Agora, com ambas as reputações na boca dos fofoqueiros e nas mãos dos apostadores, os dois começam um jogo de gato e rato recheado de intrigas, equívocos, armadilhas, paixões e desejos ardentes.

Resenha Mundo Sublinhado

Sebastian Ballister é um perfeito canalha, e ele não apenas sabe disso como também adora ser um. A relação conflituosa com os pais (que o abandonaram), fez dele um homem de difícil convívio, egoísta, egocêntrico e extremamente libertino. Ele tem muitos bens, mas não tem vínculos afetivos com ninguém, e pior, não deseja ter. Ele é inteligente, logo cedo aprendeu a “se virar”, foi para uma excelente faculdade, salvou o nome e o título da família de dívidas, nesse sentido podemos dizer que ele é um homem honrado, o problema é que parece não ter coração.

O pai dele sempre tentou esconde-lo da sociedade francesa, ele por outro lado, não se importa nem um pouco que seu nome seja o mais difamado de toda sociedade, ele adora ser conhecido como “o diabo em pessoa”, adora ser o pior dos libertino e ainda liderar um grupo de libertinos desocupados que são verdadeiras marionetes em suas mãos.

Ele é tão feio que até seus pais o rejeitaram, para piorar ele tem uma personalidade horrenda, sendo assim, sempre soube que nunca teria ninguém ao seu lado, sempre soube que ninguém o amaria, até que uma bela jovem, a senhorita Jessica Trent, começa a lhe desafiar em todos os sentidos e o leitor começa a ver os dois personagens se apaixonarem enquanto travam uma batalha de tirar o fôlego.

O que Dain não prevê é que Jessica é capaz de enxergar muito além de suas máscaras. Diferente de todas as moças que ele já conheceu, Jess parece verdadeiramente interessada no que ele pode ser. Assim, as conversas com a jovem deixam Dain completamente confuso: ninguém se interessa verdadeiramente por ele, então por qual motivo uma mulher tão linda e decidida se interessaria? Como alguém poderia amar o Lorde Belzebu?

“Ela era possessiva… em relação a ele. Aquela criatura linda e louca – ou cega e surda – anunciara isso com a mesma frieza com a qual alguém pedia para passar o saleiro, e sem perceber que o eixo da Terra havia acabado de virar de cabeça para baixo.”

Minhas considerações

Essa história é uma releitura do clássico ‘A bela e a fera’ – sou apaixonada por essa história – por isso, fiquei com uma grande expectativa para a litura.

Minha visão geral foi positiva. Ri muito das brigas da Jess e do Dain, eles são personagens incríveis, engraçados, espirituosos e tem gênios que não combinam, o que deu a trama um ar totalmente inesperado. Jess vive bem a frente de seu tempo, não tem atitudes de uma verdadeira dama, ela sabe utilizar uma arma, fala palavras obscenas e principalmente… ela desafia Dain. (kkk estou fazendo de tudo para não dar spoiler)

Na minha visão este seria um dos melhores livros que li… ATÉ… Um novo personagem surgir e a história tomar um rumo totalmente diferente, entenda que continuou bom, mas um bom mediano – que fique claro que essa é a minha opinião – acho que o livro perdeu o potencial e a história mudou de rumo, deixando de lado o gênero romance de época. O final foi meio decepcionante, mas gostei e indico a leitura.

Acredito que minha grande descoberta literária do ano foi o gênero literário Romance de Época e este é um dos melhores do gênero, ganhou diversos prêmios, a autora tem muito prestigio. É uma leitura diferente, extrovertida, inteligente e cheia de surpresas, para aquelas pessoas que gostam de romances, mas que adoram um romance não convencional.

“Você não devia usar esse charme masculino – disse ela, com a voz sufocada. E tocou na manga da camisa dele. – O que eu fiz de tão imperdoável? Você me fez desejá-la, disse ele na língua de sua mãe. Você fez com que eu me sentisse solitário, apaixonadoVocê me fez desejar o que eu jurei que nunca precisaria, que nunca procuraria.”

principedoscanalhas

Minhas frases sublinhadas
P.S.: Contem spoiler

Uma joia vermelha como o sangue, para a garota corajosa que arrancara o sangue de Dain comum tiro. E diamantes que faiscavam furiosamente, lembrando o relâmpago da primeira vez que beijaram. – pag 128

No meu dicionário, romance não é um sentimento piegas e pegajoso. É algo picante, temperado com entusiasmo e uma boa dose de cinismo. Acho que daqui a algum tempo você se transformará num belo tempero picante, Dain. Com ajustes, é claro. – pag 163

Não sei o que você está pensando. Não pague um valor enorme por você¿ Por que diabos eu deveria desperdiçar dinheiro e energia atraindo outras mulheres quando comprei uma para uso permanentemente¿ – pag 193

Dain – Jess, a única coisa imperdoável que você pode fazer é me abandonar. Se mi lasci, me uccido. Se me abandonar, eu me matarei.
Jess – Não seja ridículo. Não vou abandona-lo. Francamente, Dain, não sei de onde você tira essas ideias malucas. – pag 239

Ele percebia agora que se sentia assim desde o dia em que ela atirara nele. Naquele momento temera ter feito algo imperdoável, ter perdido Jessica para sempre. E não havia deixado de ter medo. Porque a única mulher que se importara com ele em toda a sua vida o tinha abandonado… porque ele era um monstro, uma criatura impossível de ser amada. – pag 259

A você, minha querida Lúcia, por trazer o meu endiabrado marido ao mundo… e por dar a ele tanto do que havia de melhor em você… e por abrir mão dele, para que ele pudesse viver e se transformar em um homem… e para que eu pudesse encontra-lo.- pag 274

Sobre outros livros da série Scoundrels

Inicialmente a autora não escreveu uma série, mas os quatro livros passaram a ser consederados uma série após serem lançados assim por uma editora, justamente pelo fato de ter personagens em comum.

O Príncipe dos Canalhas é o terceiro livro da série Scoundrels. A saga é composta pelos livros: The Lion’s DaughterCaptives of the NightLord of Scoundrels e The Last Hellion. Existe um laço de amizade entre os protagonistas, mas cada livro conta a história de amor de um casal diferente, portanto eles podem ser lidos fora de ordem – motivo pelo qual a Editora Arqueiro (aqui no Brasil) não seguiu a sequência original para a publicação das obras. Há rumores de que O príncipe dos canalhas seja o melhor livro da série, mas ainda não li o livro O último dos canalhas, que já foi lançado pela Editora Arqueiro no mês de novembro de 2015.

Sinopse de ‘O último dos canalhas’O_LTIMO_DOS_CANALHAS_1445038138532208SK1445038138B

Sinopse: O devasso Vere Mallory, duque de Ainswood, está pronto para sua próxima conquista e já escolheu o alvo: a jornalista Lydia Grenville. Só que desta vez, além de seduzir uma bela mulher, ele deseja também se vingar dela.
Ao se envolver numa discussão numa taverna, Vere foi nocauteado por Lydia e se tornou alvo de chacota de toda a sociedade. Agora ele quer dar o troco manchando a reputação da moça.
Mas Lydia não está interessada em romance, principalmente com um homem pervertido feito Mallory. Em seus artigos, ela ataca nobres insensatos como ele, a quem considera a principal causa dos problemas sociais.
Nesse duelo de vontades, Vere e Lydia se esforçam para provocar a derrota mais humilhante ao mesmo tempo que lutam contra a atração que o adversário lhe desperta. E, nessa divertida batalha de sedução e malícia, resta saber quem será o primeiro a ceder à tentação.

Espero que vocês leiam e que gostem!

Mil beijos, Laise Caroline

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s