O pássaro (Samanta Holtz)

O enredo da trama em si já é atrativo: um romance de época, uma garota que questiona os pais e quer ser dona do próprio destino, o galã, e os diversos segredos descobertos durante a história. Me encantei com o primeiro e último capítulo e até hoje ainda não consegui esquecê-los. O primeiro porquê narra quando a protagonista ainda era uma criança e mostra toda a sua inocência, e o último porque narra o desfecho que, simplesmente me deixou fascinada!

O PASSARO

Livro: O pássaroo-passaro
Autora: Samanta Holtz
Editora: Novo século
Número de páginas: 366
Ano: 2012
Nota Skoob: 4.4
Minha nota: 5- Favorito

Sinopse

Caroline Mondevieu é filha de um poderoso barão e tem tudo o que uma dama da época poderia querer: status, riqueza e um ótimo partido para se casar. Seus sonhos, no entanto, vão muito além de vestidos caros ou um bom marido; ela quer ser dona do seu próprio destino.

Tudo parece perdido quando ela encontra Bernardo, um charmoso e irritante domador de cavalos. Eles não conseguem se entender até perceberem que, para alcançar o sonho em comum da liberdade, deverão passar por cima das diferenças e se unirem em um arriscado plano que promete transformar suas vidas para sempre.

Grandes emoções os aguardam nessa jornada: perseguição, mistérios, ciganos e o despertar de um sentimento que insiste em se manter escondido. Mas o que parece tão simples envolverá mais magia e coincidências que eles podem imaginar, além da descoberta de segredos, até então, muito bem guardados.

Resenha Mundo Sublinhado

Caroline já tem idade suficiente para se casar e não demora muito até que seu pai, um dos barões mais poderosos da região, toque neste assunto delicado com ela. Para ele, já está tudo certo: Caroline se casará com Filip, um amigo fiel de sua infância. Indignada pela posibilidade de casar-se com seu amigo – que para ela era mais como um irmão – e cansada de sempre obedecer ao pai e nunca poder tomar as rédeas do próprio destino, ela resolve fugir.

Para que isso possa acontecer, no entanto, ela deverá contar com a ajuda de Bernardo, um domador de cavalos com um ótimo senso de humor e um tanto irritante. Os dois planejam uma fuga no dia do casamento de Caroline e, por sorte conseguem colocá-lo em prática.

Enquanto estão na floresta, fugindo e se escondendo dos perseguidores que seu pai mandou para encontrá-la, Caroline acaba machucando feio o pé e fica sem poder andar. Desesperado para ajudá-la, Bernardo levá-a até um povoado de ciganos que os acolhe e, para protegerem um ao outro acabam optando por mentir que são noivos.

Durante o pequeno tempo em que ficam no povoado, o casal acaba descobrindo um novo sentimento – muito mais profundo que amizade e gratidão – pelo outro, conhecem uma senhora que insiste em chamar Caroline de Dayeah – que significa pássaro – por ela querer ser livre e dona do próprio destino, descobrem segredos guardados há muito tempo e que poderá comprometer o amor entre os dois.

Eles terão de lutar e enfrentar muitos desafios para conseguirem ficar juntos. Será mesmo que conseguirão?

Minhas considerações

PORQUÊ CINCO É A MAIOR NOTA?!!!! Eu poderia dar mil à este livro e ainda seria insuficiente!

M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O!

Um livro para ser seu romance de cabeceira! Amei todos os aspectos possíveis em relação a este livro. Como já disse em outra resenha, a escritora é uma de minhas preferidas já que seus livros possuem um valor maior do que a história em si: a lição que carregam consigo.

As lições que a autora nos ensina faz com que passemos a ver o mundo sob uma nova perspectiva e nos faz questionar o sentido de certas coisas.

O enredo da trama em si já é atrativo: um romance de época, uma garota que questiona os pais e quer ser dona do próprio destino, o galã, e os diversos segredos descobertos durante a história. Me encantei com o primeiro e último capítulo e até hoje ainda não consegui esquecê-los. O primeiro porquê narra quando a protagonista ainda era uma criança e mostra toda a sua inocência, e o último porque narra o desfecho que, simplesmente me deixou fascinada!

A história me levou do choro à risos em questão de páginas, e me apeguei muito aos protagonistas. Caroline é uma garota decidida e não para até conseguir o que quer, Bernardo, por sua vez, é um homem que só age após pensar em todos os detalhes possíveis.

Me emocionei com a forma como ocorreu o primeiro beijo deles e achei muito fofinho :3. Sabe a expressão que certas pessoas usam ”o livro me sequestrou”? Então, foi isso mesmo que aconteceu, o livro me sequestrou e não consegui largá-lo até terminá-lo.

ATENÇÃO! O texto abaixo pode conter SPOILER

Mas, ao terminá-lo fiquei com uma ressaca literária daquelas (!) pois a autora utilizou palavras tão lindas e emocionantes que mexeu comigo (sou muito sensível com palavras, então, você já viu, né?) e meu primeiro pensamento foi ”Preciso matar a Samanta!” mas, como estava indo para a escola justo naquele momento respirei fundo, limpei o rosto e, ao entrar na sala ”tentei” fingir que não havia acontecido nada… Bom, vocês já devem imaginar que falhei não é mesmo? Rsrs, pois é, realmente falhei em meu plano e quase, QUASE, caí no choro na escola também. Após voltar para a casa a minha crise de ”Tenho que matar a Samanta Holtz!!” já havia passado e, acho que por esse motivo eu consegui me conformar com o final e, deste modo conseguir me concentrar em outro livro (foi bem difícel no primeiro dia já que a história não saía da minha mente).

Super, hiper, mega indico esse lindo romance para o público de qualquer idade e espero que se emocionem e se deixem levar pelo livro assim assim como eu.

Se você já leu, espero que tenha amado tanto quanto eu. Se ainda não, espero que esta resenha tenha despertado-lhe algum interesse.

Minhas frases sublinhadas

”Papai, como é que o senhor tem tanto ouro se eu nunca vi o senhor trabalhando? (…) E por que os empregados são pobres, se eles, sim, trabalham, e deveriam ganhar por isso? Eu vi a casa do homem que cuida dos cavalos, e é muito menor que a nossa!” páginas 18 e 19.

”Era a primeira vez que palavras tão gentis lhe eram dirigidas. O destino não lhe fora tão cruel, afinal de contas…” página 141.

”Milady!” Bernardo, página 287.

”Era livre. Eternamente livre. Até o dia em que se encontrariam novamente para, juntos, alçarem um novo voo em direção ao infinito.” página 476.

Espero que tenham gostado da resenha. Até a próxima. Beijinho, Gaby.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s